Romaria dos Mártires da Caminhada – 2022.

 

No passado dia 17 do mês em curso, a Prelazia de São Félix do Araguaia, celebrou em Ribeirão Cascalheira a grande solenidade da romaria dos mártires da caminhada. O nobre evento que congregou centenas de fiéis, foi presidido pelo Dom Adriano bispo da Prelazia de São feliz do Araguaia. Fizeram-se presente e concelebraram vários sacerdotes do clero local e visitantes. Fez-se presente também nesta celebração, o bispo Dom Manuel João Francisco, bispo de Cornélio Procópio – Paraná. E sob um vasto clima totalmente ecuménico, se fizeram também presente na celebração vários representantes das Igrejas irmãs, nomeadamente: Dom Jucimar Soares, bispo da Igreja Vetero Católica do Arcebispado de São Paulo apóstolo, e o bispo Almir dos Santos, bispo emérito da Igreja Anglicana, que concelebraram com o mesmo espírito de unidade pela causa da luta e libertação.

No decorrer da celebração litúrgica, Dom Adriano na sua homilia, refletiu com os fiéis o significado da estola usada por todos os fiéis durante a celebração. Para Dom Adriano, a estola representa todos os batizados como um povo de sacerdotes, profetas e reis, que participa de um sacerdócio comum que é aquilo que os torna povos de Deus e missionários. Na sequência, Dom Adriano convidou os fiéis no sentido de adotarem a partilha como base da prática cristã, para que o mundo se torne mais justo, mais tranquilo e feliz. Dom Adriano avançou apontando os mártires, os pobres e os estrangeiros, como os escolhidos                                                                                   de Cristo.

Por último Dom Adriano apontou duas características fundamentais que regem a vocação cristã, que consiste: no serviço e no discipulado, que se pauta na figura de Marta e de Maria. Na mesma celebração se fizeram presente as sobrinhas de Dom Pedro Casaldáliga, que manifestaram sentimentos de felicidade e gratidão.  Glória Casaldáliga, falou do que Dom Pedro significa e representa na vida familiar, descrevendo – o como: um referente e um homem que sempre foi e é ainda muito presente no seio familiar. Na mesma via, o grupo indígena Xavante na pessoa do seu cacique Damião, num tom de gratidão, teceu algumas palavras de apresso e mérito pela presença de Deus e da Prelazia nas suas lutas e conquistas por um mundo melhor e humano. O cacique na sequência, avançou com fortes denúncias contra a FUNAI, por atitudes que atentam contra a vida do cacique, do seu povo, da paz e da promoção do bem estar  uma  vez  que  se  trata  de  perseguições  e mortes  dos  seus  companheiros. Em seguida o cacique falou e lamentou da escassez de remédios para contornar as enfermidades no seio da sua comunidade indígena, e pediu a intervenção dos órgãos de direito, no sentido de se providenciar, escola e posto de saúde que atenda em condições a demanda da aldeia. Por último, Dom Almir dos Santos bispo da Igreja Anglicana, e Dom Jucimar Soares, encorajaram o povo da caminhada no sentido de se fortalecer, na busca de justiça e de um mundo melhor.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Redação: José Hilário Laurindo.

Edição: José Hilário Laurindo.

Postagem: José Hilário Laurindo.

Fotos; Jorge Custódio (Mirandinha), e José Hilário.

Compartilhe: