Querigma!

O que é o QUERIGMA?

Por Pe. Cleuto

É o primeiro anúncio da pessoa de Jesus Cristo, seu projeto e sua entrega (DNC, nº 30). Nesta etapa o importante é conduzir a pessoa, catequizando, catecúmeno a fazer a descoberta de quem é Jesus Cristo. Este é o período de anúncio e evangelização. É uma verdadeira ação missionária de toda a comunidade Eclesial de apresentação da mensagem cristã. Aqui deve acontecer o que o Papa Francisco chamar a Igreja em Saída (EG, nº 14).

A Igreja/Comunidade só encontra seu pleno sentido quando se compreende como um canal da Evangelização (EN, nº 14). Isso não é novo, porque Paulo já o havia falado a comunidade de Corinto (1Cor 9,16).

No anúncio querigmático devemos ter presente os seguintes elementos: a) em Jesus se concretiza a chegada do Reino de Deus (Gl 4,4); b) a Salvação se concretiza na pessoa de Jesus (Jo 148-9); c) Deus nos cria (Gn 1,27-31); d) o Reino de Deus se inaugura em Jesus Cristo (Lc 7,18-23); e) a Igreja é a comunidade dos que creem em Jesus Cristo ; e f) em Deus seremos renovados (1Cor 15,28; Rm 9,5). Essa é nossa feliz esperança (DNC, nº 31).

A evangelização é uma realidade rica, complexa e dinâmica que compreende momentos essenciais, e diferentes entre si (DNC, nº 33).

A catequese nunca pode ser dissociada do conjunto das atividades pastorais e missionárias da Igreja. É bom termos presentes que entre catequese e evangelização não existe separação e nem oposição. Existe sim relações intimas de integração e complementariedade recíproca (CT, º18).

Se é verdade que ser cristão é dizer sim a Jesus, isso implica dois níveis: abandonar-se a Palavra de Deus e apoiar-se nela. Segundo momento, o esforçar-nos por conhecer cada vez melhor o sentido profundo dessa Palavra (CT, nº 20).

O fruto da evangelização e da catequese é o formar discípulos: capazes de acolher a Palavra, aceitar Deus na própria vida, como um dom de fé. (DNC, nº 34). É uma decisão pessoal mediada pela comunidade eclesial que nos oferece o dom de Deus.

A situação do momento atual levou a Igreja desde o Concilio Vaticano II a propor a restauração do Catecumenato (SC, n°64; CD, n° 14; AG, nº 14). Num primeiro momento o processo catecumenal é voltado sobretudo para os adultos, mas nada impede de ser adaptado para todas as idades salvaguardando e respeitando as capacidades de cada faixa etária. Ou assumimos este processo como um todo ou vamos continuar gastando energias inutilmente.

Nada há de mais sólido, mais profundo, mais seguro, mais consciente e mais sábio que esse anúncio. Toda a formação cristã, é primeiramente, o aprofundamento do Querigma. É o anúncio que dá resposta ao anseio de infinito que existe em todo o coração humano (EG, nº 165). O anúncio não pode ser mais considerado simplesmente a primeira etapa da fé, prévia a catequese (DC, nº 57)

Alguns textos bíblicos que ajudam-nos a trabalhar a questão querigmática:

Mt 1, 23 – Jesus, Filho de Deus; Mt 4,1-11 – tentação no deserto; Mc 1,9-11 – Batismo de Jesus; Mc 1,15 – a proximidade do Reino de Deus; Mc 1,16-20 – vocação dos primeiros discípulos; Mc 3,13-19 – o grupo dos doze; Mc 3, 31-35 – a família de Jesus; Mc 9, 2-13 – a transfiguração; Mc 15, 33-39 – a morte de Jesus; Lc 4,14-24 – programa de Jesus; Lc 24,13-35 – os discípulos de Emaús; Jo 3,16 – o amor de Deus pela humanidade; Jo 6,35-51 – o Pão da vida; Jo 10,10 – a vida plena; Jo 20,24-31 – o Ressuscitado; At 10,38 – Jesus fez o bem; At 10,34-43 – Casa de Cornélio; Rm 4,24-25 – Jesus Ressuscitado é certeza de nossa justificação; 1Cor 12,3 – Jesus é o Senhor; 1Cor 15,3 – Cristo morreu por nossos pecados; Gl 2,20 – o Filho de Deus me amou, e se entregou por mim;

 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin