REFLEXÃO DA MISSA DOS SANTOS ÓLEOS.

Irmãos e irmãs, reunimo – nos desde o Araguaia até ao Xingu, do Pará ao Travessão para, no mistério Pascal de Cristo, celebrarmos a consagração do óleo do Crisma e a benção dos óleos do batismo e da unção dos doentes. O óleo Santo nos unge para sermos homens e mulheres seguidores e seguidoras de Jesus de Nazaré, promotores do bem, da vida e da paz. Em comunhão e oração pelo nosso bispo Dom Adriano, todos os agentes de pastoral, todas as lideranças das nossas comunidades. E como povo sacerdotal, testemunhas da esperança, celebremos na certeza de “Tudo pelo Reino”.

Durante a celebração, se abençoa o óleo dos catecúmenosdos enfermos e se consagra o óleo do Santo Crisma. Por isso, essa celebração é também chamada de ‘Missa dos Santos Óleos’.

Nela também se renovam as promessas sacerdotais pronunciadas no dia da ordenação, sendo também chamada de “Missa da Unidade“, expressando a comunhão prelatícia em torno do Mistério Pascal de Cristo, constituindo um momento forte de comunhão eclesial, de participação intensa das comunidades e de valorização dos sacramentos da vida da Igreja. 

Significado dos óleos:

– Óleo dos Catecúmenos: Concede a força do Espírito Santo aqueles que serão batizados para que possam ser lutadores de Deus, ao lado de Cristo, contra o Espírito do mal.

– Óleo dos Enfermos: É um sinal utilizado pelo sacramento da Unção dos Enfermos, que traz o conforto e a força do Espírito Santo para o doente no momento de seu sofrimento. O doente é ungido na fronte e na palma das mãos.

– Óleo do Crisma: É um óleo utilizado nas unções consacratórias dos seguintes sacramentos: depois da imersão nas águas do Batismo, o batizado é ungido na fronte; na Confirmação, é o símbolo principal da consagração, também na fronte; depois da Ordenação Episcopal, sobre a cabeça do novo bispo; depois da Ordenação Sacerdotal, na palma das mãos do neossacerdote.

Na nossa prelazia foi escolhido esse domingo 03 de abril, onde todos os agentes de pastoral se reúnem juntos com o Bispo dom Adriano, para renovar o compromisso com a Igreja, com a nossa prelazia. É um momento de encontro e confraternização e sobretudo de Fé. Muito significativo também para as nossas lideranças das comunidades, pastorais e movimentos. Rezemos juntos e juntas por toda a Igreja, para que no mistério pascal de Cristo , façamos nossa experiência do cristo Ressuscitado.

 

Por padre:

Wellington Campos.

 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin